MUNDÃO INCRÍVEL

Chupim é um Pássaro Parasita de Ninhos, e Outras Aves Com Esse Comportamento!

Avaliações
5/5

Chupim é um pássaro parasita de ninhos, ele é uma ave que bota os ovos no ninho de outras espécies. Tico-tico e corruíras são as vítimas mais conhecidas desse comportamento! O filhote do chupim cresce rápido, tem uma fome insaciável e muitas vezes fica maior que os pais adotivos! Mas esse comportamento parasita do Chupim gera muitas dúvidas. São todas as aves que aceitam filhotes adotivos? 

Chupim é um pássaro parasita de ninhos, como a fêmea sabe qual é o ninho certo?

Chupim é um pássaro parasita de ninhos

Essas aves enganadas não percebem que tem um ovo diferente no ninho? E a fêmea do Chupim? Como sabe qual é o ninho certo e o momento certo para invadir e deixar os ovos? Todas essas questões você descobrirá neste artigo! E atendendo a pedido de vocês, hoje falaremos do curioso comportamento do chupim e de outras aves parasitas. E olha que existem muitas curiosidades em torno dessas aves. 

O chupim é um pássaro parasita de ninhos, e de nome científico Molothrus bonariensis é uma ave comum em todo o Brasil, é muito famosa pelo comportamento de parasitar o ninho de outras aves, ou seja, de botar os ovos no ninho de outras espécies, para que elas incubem e criem os filhotes. Mas fazer isso, não é nada simples! Exige muita ousadia, paciência e inteligência da fêmea do Chupim. Bom, tudo começa obviamente no período reprodutivo, e os Chupins são bem, digamos, descompromissados com o seu parceiro. 

Depois que o casal faz a cópula, o macho abandona a fêmea.

Chupim é um pássaro parasita de ninhos

Então ele vai à procura de outras, já a fêmea começa com a sua importante missão de procurar um ninho para colocar seus ovos. E não pode ser qualquer ninho, pois se ela botar os ovos no ninho de gavião, por exemplo, vai dar ruim! Então ela começa a observar e acompanhar os futuros pais adotivos de várias espécies que vivem à sua volta que costumam ter uma dieta parecida. Como tico-tico, canário, sabiá, entre outros. E na maioria das vezes só pelo comportamento dos outros passarinhos ela acaba encontrando a localização do ninho. 

Mas achar ninhos de outros passarinhos não basta. A fêmea de chupim precisa saber a hora certa de botar os ovos lá. Se ela bota muito cedo ou tardiamente os ovos no outro ninho, pode não dar certo. Ela tem que colocar mais ou menos no mesmo período de postura dos ovos das aves vítimas e hospedeiras, para dar tudo certo. E para conseguir isso, ela faz o seguinte, ela fica monitorando os potenciais ninhos encontrados por ela, às vezes ela vai lá no ninho, dá uma olhadinha em volta e se precisar até espanta os donos dos ninhos que voltam depois. 

Mas como a fêmea de chupim sabe o momento certo?

Chupim é um pássaro parasita de ninhos

Quando a fêmea do Chupim percebe que o número de ovos aumentou de uma visita para outra, ela entende que o hospedeiro está em processo de postura de ovos, e é o momento certo para ela deixar o seu ovo. Então a fêmea de chupim consegue memorizar a quantidade de ovos de cada ninho visitado. Isso é impressionante! Enquanto a postura, a fêmea de chupim produz de quatro a cinco ovos por temporada, geralmente colocando um ovo para cada ninho hospedeiro. 

Mas é bem comum acontecer de um mesmo ninho ter dois, três ovos ou até mais de diferentes fêmeas de chupim. Há ainda um detalhe mais impressionante! O ovo da maioria das aves tem um desenvolvimento mais lento do que o ovo do chupim. Enquanto os ovos de tico-tico e de outros passarinhos demoram de 12 a 15 dias para eclodir, o ovo do chupim é incubado em 10 ou 11 dias. Isso significa que o bebê chupim nasce muito antes dos outros ovos. Por isso eles são alimentados primeiro e crescem muito mais rápido que os filhotes legítimos, que sai na desvantagem. 

Mas é só o tico-tico que é hospedeiro do chupim?

Maior e mais forte, o filhote de Chupim sempre enfia sua boca na frente dos irmãozinhos menores, recebendo quase toda a comida trazida pelos pais. Por isso, quase sempre os outros filhotinhos acabam morrendo de fome. Apesar do tico-tico ser a espécie hospedeira mais conhecida, sabemos que existem mais de 250 espécies de aves vítimas do comportamento parasita do chupim. Desde sabiá-do-campo, sabiá-barranco, corrupião, saí-canário, bem-te-vi, suiriri e até a minúscula corruíra. Mas nesse comportamento parasita do chupim surge uma grande dúvida! 

As aves que tiveram o ninho invadido pelo chupim não percebem que tem um ovo estranho ali? Depende muito da espécie, tem as que percebem, tem outras que não, a fêmea do tico-tico que é a maioria das vítimas, digamos assim, não percebe de jeito nenhum. Pois o ovo do chupim, apesar de ser um pouco maior, é muito, mas muito parecido com o ovo dela. Agora, por outro lado, tem algumas espécies de aves que conseguem identificar um ovo diferente, mesmo que por detalhes sutis. E quando isso acontece, as aves empurram o ovo forasteiro para fora, ou abandonam o ninho. 

Chupim é um pássaro parasita de ninhos e as aves não reconhecem o filhote diferente?

Esse é o caso da famosa tesourinha, que não aceita de jeito nenhum o ovo de chupim no seu ninho. E quando os filhotinhos nascem, os pais não percebem que tem um filhotinho ali que é um pouquinho diferente? Bom seus pais adotivos não perceberam o ovo estranho, depois que nasce é bem mais difícil notar algo estranho. Mesmo que o filhote seja completamente diferente! A verdade é que quando os passarinhos são recém-nascidos, com poucos dias de vida, eles são muito parecidos. Tudo que os pais visualizam no ninho são várias bocas brilhantes e abertas pedindo comida. 

E depois que cresce, mesmo o filhotinho de chupim sendo bem diferente, os pais acreditam de fato que aquele é um filho legítimo deles! E não é só isso! O filhote de chupim dá um verdadeiro show para os pais adotivos. Ele fica piando sem parar pedindo comida, e provocando um super estímulo sobre os pais adotivos. Fazendo eles acreditar, que tiveram um filhotão de sucesso, grandão, forte e saudável! E depois que sai do ninho o filhote de chupim fica dependente dos pais adotivos por mais ou menos duas semanas. 

Mas é só o chupim que tem esse comportamento?

Até que finalmente ele aprende a se virar sozinho e segue seu instinto! Associando-se a bandos de sua própria espécie. E apesar do chupim levar a fama de ave parasita, ele não é o único a ter esse comportamento. No Brasil são sete espécies de aves que são parasitas de ninhos. Além do chupim, tem o chopinho azeviche, que é bem parecido, peixe-frito, o peixe-frito-pavonino, o saci, a iraúna e a marreca-de-cabeça-preta. Fora do Brasil existem diversas espécies de cucos, além de vários passarinhos das famílias “Viduidae” e “Indicatorídea” que são parasitas de ninhos. 

E quase sempre os ovos dessas aves parasitas são miméticos, ou seja, são muito parecidos com os ovos das aves hospedeiras. É interessante também que cada espécie usa suas próprias estratégias de parasitismo. Por exemplo, enquanto o filhote de chupim tenta sair na vantagem dos irmãos, nascendo primeiro e se destacando na hora de pedir comida. No caso dos cucos europeus o filhotinho já nasce programado, para empurrar os outros ovos para fora do ninho. 

Alguns comportamentos de outros parasitas de ninhos.

Em algumas espécies, os pais parasitas até dão uma ajudinha aos filhotes antes de os abandonarem. Perfurando os ovos do ninho hospedeiro e deixando apenas os seus. Na marreca de cabeça preta encontrada no Sul do Brasil, o parasitismo é menos agressivo. Ela coloca os ovos no ninho de outras aves aquáticas apenas para que elas choquem os ovos, pois assim que o filhotinho nasceu ele abandona o ninho, pula para a água e já se vira sozinho. E você pode se perguntar: Qual é a maior ave parasita do mundo?

Uma pergunta bem interessante! Então a maior ave parasita do mundo é o cuco-tucano encontrado na Oceania. E é uma ave onívora que tem até 60 cm de comprimento e peso de até 630g. Como comparação, esse bicho é do tamanho de um Carcará. Agora imagina o trabalhão que os pais adotivos têm para alimentar um bichão desses! Pois é, por isso que o cuco-tucano escolhe ninhos hospedeiros de aves grandes como de corvos. É importante ressaltar que essas aves parasitas de ninhos, elas perderam totalmente a capacidade de construir ninhos e de cuidar dos seus filhotes. 

Chupim é um pássaro parasita de ninhos, mas porque essas aves não criam seus filhotes?

Chupim é um pássaro parasita de ninhos

Então a única forma que elas têm de se reproduzir é parasitando ninhos, exatamente porque perderam essas capacidades de criar seus filhotes. Mas é um comportamento extremamente raro entre as aves, apenas um por cento de todas as espécies do mundo são parasitas de ninhos. É claro que tico-tico, sabiás e outras aves hospedeiras desse comportamento fazem de tudo para evitar serem exploradas! Existem espécies que tem uma boa capacidade de reconhecimento do próprio ovo e consegue identificar um ovo que não é seu, já outras como tico-tico não conseguem. 

Qual a estratégia dos hospedeiros?

Chupim é um pássaro parasita de ninhos

Então a estratégia é construir ninhos cada vez mais bem escondidos. Sei que tem gente que não gosta do chupim, justamente por causa desse comportamento parasita.  Mas gente, esse é um comportamento natural que ocorre na natureza há milhares de anos. E tanto chupim quanto as aves hospedeiras estão adaptadas a esse comportamento. É um dos muitos mecanismos naturais para controlar a população das aves e manter a estabilidade dos ecossistemas. 

E se você ficou com alguma dúvida sobre esse assunto, já coloque aí nos comentários. Então é isso, muito obrigado pela audiência de sempre e até o próximo artigo! 

VÍDEO NO YouTube AQUI!

error: Content is protected !!

Descubra mais sobre Mundão Incrível

Assine agora mesmo para continuar lendo e ter acesso ao arquivo completo.

Continue lendo